letreiro

18 de abril de 2011

Uma vontade enorme

Uma vontade enorme

Alimento a minha volúpia nos teus seios sensacionais e deliciosos, matando a fome desta minha vida minha desregrada nesse teu corpo macio. Elimino a minha sede com o teu suor e com o teu gozo, nos passeios que faço pelos vales profundos da tua carne quente, escandalosa e desejável.
Publicado por ΚΛL-ΞL em 00:47:07


Power
A imagem de suas coxas grossas sob a minissaia me excita.
E você sabe disso.
Por isso se aproxima de mim, nesses passos felinos, sorriso lascivo, pondo seus cabelos perdidos por trás da orelha em um movimento notável.
Enquanto eu, sentado na cama, aguardo minha delícia estar ao alcance das mãos, pra segurar sua cintura, com aquela força que gosta, e deitar minha cabeça em seu ventre.
Te sentar em meu colo e beijar sua boca sem pressa.
Sentir seu sabor de mulher, morder seus lábios vermelhos, me lambuzar em seu batom de morango, comer sua boca faminta.
Acariciar suas coxas em uma estrada macia que leva minhas mãos ás delícias sob sua saia.
Esquecemos da vida quando isso começa.
E por isso você começa.
Deitamos na cama entre beijos e mordidas, entre arrepios e gemidos.
Arrancamos nossas roupas nos botões que se rompem e tecidos rasgando.
Seu corpo moreno é meu paraíso. Curvas exatas, seios suaves, rosto perfeito.
Mergulho em seus olhos, me perco em seu brilho e entrego meu corpo ao prazer que tanto procura.
Ao tesão que tanto provoca.
Você sabe o poder que tem sobre o meu.



Sabor e volúpia
Meu celular esgoela aquele zunido estridente em algum lugar de meu quarto.
Tateio a gaveta abaixo da mesa onde fica o monitor.
Meu interesse está nas palavras perdidas entre meus pensamentos disformes e a tela de vidro.
Entre cartas, contas e contos, sinto o aparelho vibrar em minha mão direita.
O som metálico me irrita e pressiono, furioso, o botão iluminado, enquanto encontro a palavra exata pra fechar um parágrafo que me parecia infinito.
Atendo o chamado querendo que seja engano, ou um daqueles trotes que eu adorava fazer quando moleque.
Preciso voltar ao mergulho sem fôlego na questão intrigante que revela o sabor de sua essência mais íntima.
Entre o doce e o salgado, no suor e na saliva o tesão que me alimenta.
A alquimia de ourives, o tempero de canela ou simplesmente sacanagem.
_Alô...             
Do outro lado da linha, e á 3 mil km de distância, ela acaricia meus ouvidos cansados com sua voz deliciosa, delicada, feminina, inspiradora, sexy...Absurdamente sexy.
_Marcelo?
Por algum motivo misterioso, ela adora meu nome e sabe o efeito que seu nome causa em minhas cabeças duras.
E naquele som excitante, pulsando entre fibras óticas, satélites, antenas e microchips, encontro a resposta de que tanto preciso ao sabor que me eriça.
Sua voz é doce, assim como doce é seu corpo moreno que me entrega sempre que a beijo.
Pra me perder entre coxas arrepiadas e montes voluptuosos, na caverna que lambuza o desejo que é só nosso.
Até me encontrar em seu gozo sonoro.
Me lembrando, no brilho de seus olhos furtivos entre sorrisos de morango, que sou seu homem, e você minha mulher.


Nenhum comentário:

Postar um comentário