letreiro

30 de junho de 2010





















..mãos curiosas...


Gemidos... meus aos teus...
e... as tuas mãos…
impacientes... curiosas...ansiosas
Abrem trilhos e caminhos...
rasgam espaços entre os braços...
Os meus ...que se abrem ...
Os teus...que apertam...que abraçam...
Corpos rendidos nas nossas mãos…
E o teu sexo...
Que... o meu roça e se encosta
e ...foge nas minhas pernas
e ...desce nas minhas coxas
e ...subitamente ...de repente
me invade me preenche...me completa...
E...eu repleta...
E...nos teus olhos...
esses olhos...que tanto dizem...
E... na tua boca...
as palavras loucas...
Que digo... na tua boca...
ve a nice day!
 
rest.jpg
Foto: Rest
…é feita de prazeres e sentires.
E hoje…a vida apetece.

1033641.jpg
Autor  Madalena
Quando a lua traz a noite, é como se os planetas se alinhassem e os animais se recolhessem.
Tudo assume um outro lado quando uma película húmida cobre os espaços.
As árvores murmuram segredos e silêncios e os olhos baixam ao chão.
Os reflexos desvanecem-se e os espelhos assumem-se como quadros antigos apinhados de memórias.
As criaturas da noite vivem nas esquinas das ruas, nas ruelas recônditas e a terra e o céu unem-se num breu único.
As luzes matizam apenas pequenos palcos onde interagem o seres.
A noite recupera e tolda de pardo os pensamentos e os ensejos. Assim é quando as forças são poucas e quando a nossa robustez está alinhada de forma disforme. Há noites em que a pouca lucidez não nos faz ver através da escuridão.
Mas há também noites em que a luz teima em permanecer.
Há noites lúcidas em que escarnecemos a escuridão e a pouca lucidez que obstinada insiste em, muitas vezes, aparecer.
Há noites diferentes em que a leveza é tanta que nem a roupa se sente no corpo ou frio se sente na pele.

Seu beijo...


Seu doce beijo
Onde tudo começa;
Aonde chego com pressa;
Onde fico voraz...
Ele me deixa tonto;
No espaço me faz flutuar!
Sou um gigante... Sou um menino;
Seu beijo sempre me satisfaz!
Sufoco-me em prazer;
Alimento de fantasias meu ser.
Descubro seus mistérios,
Desnudo você!
Nesse momento sou ditador,
De todos os sentimentos,
Encontro confiança e paz em todos os seus momentos!
É seu beijo que tanto quero,
Delícia de minha vida,
A saciar meu louco desejo!
És a felicidade contida,
Que trago dentro do meu peito!
E de olhos fechados quando te beijo,
Todas as estrelas do infinito eu vejo!
Vejo você...
Toda razão de meu desejo!

Maria Lucilia Cardoso 
Formas belas e apreciadoras de desejos